Cirurgia Plastica das Palpebras

BLEFAROPLASTIA – CIRURGIA PLÁSTICA DAS PÁLPEBRAS – CIRURGIA DAS PÁLPEBRAS – SÃO PAULO – Sao Paulo

A cirurgia das palpebras, também denominada de blefaroplastia,  remove quando necessário, o excesso de gordura e músculo; e retira o excesso de pele, tanto da pálpebra superior quanto da pálpebra inferior, dando um ar mais jovial ao paciente.
Pessoas com problemas circulatórios, oftalmológicos ou outra condição médica que requeira acompanhamento constante, tal como diabetes, problemas cardíacos, entre outros; necessitam verificar se podem ser candidatos a blefaroplastia. Todo paciente que submeter-se-á a um procedimento cirúrgico necessecita estar em boa condição física e mental; e ter uma real expectativas quanto ao resultado final da cirurgia.

Esquema demonstrando o antes e o depois da cirurgia plastica das palpebras.
Esquema demonstrando o antes e o depois da cirurgia plastica das palpebras.
Posicionamento das incisões (corte) na Blefaroplastia superior e inferior, bem como na blefaroplastia inferior via transconjuntival
Posicionamento das incisões (corte) na Blefaroplastia superior e inferior, bem como na blefaroplastia inferior via transconjuntival

O  que é Cirurgia Plastica das Pálpebras (Blefaroplastia) ?

A pele em excesso e as bolsas que se formam nas pálpebras são sinais de envelhecimento facial. Além do incômodo estético, também podem atrapalhar a visão. A Cirurgia Plastica das Pálpebras, cujo nome técnico é Blefaroplastia é um procedimento de cirurgia plástica criado para corrigir estes problemas, estéticos e funcionais. Mesmo pessoas mais jovens, se tiverem uma tendência familiar podem apresentar este incômodo.

AS MELHORES INDICAÇÕES PARA CIRURGIA PLASTICA DAS  PÁLPEBRAS

A cirurgia plastica das palpebras é indicada para correção da flacidez muscular e da pele e também das bolsas palpebrais. Entretanto, esta cirurgia não removerá os pés de galinha e nem elimina as olheiras e também não tem a capacidade de elevar as “Sobrancelhas”.

Para os Asiáticos, uma modificação da técnica de cirurgia plastica das palpebras pode criar um vinco na pálpebra superior que se aproximará levemente de uma ocidentalização, mas não apagará a evidência da herança étnica ou racial. Ou seja, não pode transformar uma pessoa com traços orientais em uma pessoa com traços ocidentais.

Os melhores candidatos para a cirurgia plastica das pálpebras são homens e mulheres fisicamente saudáveis, psicologicamente estáveis e realistas em suas expectativas. Não existe uma idade ideal para a cirurgia, mas sim, a oportunidade ideal. Essa oportunidade é determinada pela presença do defeito a ser corrigido e geralmente ocorre após a terceira década de vida. Em casos raros, com tendência familiar de flacidez palpebral, a cirurgia pode ser feita mais cedo.

A cirurgia plastica das palpebras pode ser feita isoladamente, ou em conjunto com algum outro procedimentos cirúrgico, tal como a cirurgia plastica da face ou cirurgia plastica de elevação das sobrancelhas ou a procedimento não cirúrgico, por exemplo preenchimento com ácido hialurônico ou toxina botulínica.

RISCOS

Algumas condições médicas fazem a cirurgia plastica das pálpebras ser mais delicada e incluem problemas de glândula tireóide, por exemplo o hipotiroidismo e outras doenças, o olho seco (pessoas que apresentam falta de lágrimas), pressão alta ou outras desordens circulatórias como doenças cardiovasculares, diabetes e doenças da retina ou glaucoma. Se houver dúvidas, o cirurgião plástico solicitará consulta com o cardiologista, oftalmologista e uma avaliação clínica cuidadosa antes de qualquer cirurgia.

Quando a cirurgia plastica das pálpebras é executada por um cirurgião plástico qualificado, as complicações são raras. Entretanto, não há risco zero e você pode reduzir seus riscos com uma boa avaliação pré-operatória e seguindo rigorosamente as orientações do cirurgião plástico. Com estes cuidados os riscos são bem reduzidos.

As complicações menores que ocasionalmente podem ocorrer após a cirurgia plástica das pálpebras incluem visão turva ou duplicada por alguns dias, edema (inchaço) temporário no canto das pálpebras, assimetria leve. Alterações dos cílios também podem ocorrer. Edema (inchaço) e equimoses (manchas roxas) são transitórios.

Como graves complicações pode-se citar que alguns pacientes podem ter dificuldade de fechar os seus olhos quando dormem; em casos raros esta condição pode ser permanente. Outra complicação muito rara é o ectrópio, uma queda da pálpebra inferior. Neste caso, uma cirurgia pode ser requerida para correção. Com cuidado estas complicações podem ser evitadas ou ter sua possibilidade de ocorrer muito diminuídas.

O cirurgião plástico não deve ser escolhido apenas por questões que envolvem preços ou facilidades de pagamentos, mas principalmente por confiança que deve ser mútua, do paciente para o médico e do médico para o paciente. Conhecer o cirurgião em uma consulta cuidadosa é muito importante para os bons resultados.

PLANEJE SUA CIRURGIA

A consulta inicial com o cirurgião plástico é muito importante. O cirurgião ouvirá sua história médica completa, então avaliará seu caso tanto do ponto de vista da cirurgia plástica proposta, como do ponto de vista clínico. Solicitará então avaliações de especialistas como cardiologista, anestesista e outros clínicos se necessário, e complementa tudo com exames laboratoriais. Assim estará pronto para proporcionar todas as informações que você precisar sobre resultados esperados e riscos envolvidos com o procedimento.

Não deixe de informar ao cirurgião plástico qualquer tipo de alergia que você possua; se toma vitaminas, medicamentos (mesmo os mais simples), se utiliza álcool ou outras drogas e se fuma. No período que antecede a cirurgia, não deixe de informar o cirurgião plástico se você tomou algum medicamento, mesmo os mais simples, como a aspirina e antiinflamatórios. A aspirina, por exemplo, pode alterar a coagulação sanguínea por períodos de até 11 dias, mesmo com o uso de um único comprimido.

Nesta consulta, o cirurgião plastico receberá suas informações oftalmológicas e observará a produção de lágrimas. Se necessário uma consulta com um oftalmologista será solicitada. Deverá ser informado o uso de óculos e lentes de contato.

Você e o cirurgião vão discutir cuidadosamente suas metas e expectativas para a cirurgia plastica. Necessitará discutir se vai realizar o tratamento em todas as quatro pálpebras ou só nas inferiores ou só nas superiores. Se a pele assim como a gordura será removida e se quaisquer procedimentos adicionais são apropriados.

O cirurgião explicará as técnicas e anestesia que ele usará e o tipo de local onde a cirurgia será executada. Assim como os riscos envolvidos. Os honorários do cirurgião e os custos do hospital ou day hospital serão fornecidos. Utilizamos pacotes fechados, assim você terá a confiança de que vai dispender um valor exato, que lhe seja possível cobrir.

Todos estes cuidados não existem para criar medo e insegurança no paciente, mas sim para melhor esclarecê-lo sobre os riscos inerentes a qualquer procedimento cirúrgico. Estes cuidados devem esclarecer mitos e desfazer expectativas incorretas e assim, com a segurança obtida, trazer a tranqüilidade necessária para atingir os bons resultados.

PREPARAR PARA A CIRURGIA

O Dr. Giovanni Andrte Viana lhe dará instruções específicas em como se preparar para cirurgia, que incluem orientações em relação à alimentação, bebidas, fumo e evitar certas vitaminas e medicamentos e manter o uso de outras. Siga cuidadosamente as instruções que ajudarão sua cirurgia a correr perfeitamente.

Você deve solicitar que alguém o acompanhe no dia da cirurgia e deve se preparar para se afastar das atividades habituais por um período que será informado pelo seu cirurgião plástico.

Recomendações Pré-operatórias para a Cirurgia das Pálpebras (é um modelo básico, mas cada paciente deve seguir as recomendações que lhe serão fornecidas especificamente para seu caso, pelo seu cirurgião plástico)

1)    Compareça ao hospital no dia e hora marcado pelo Dr. Giovanni Andre Viana,

2)

Qualquer

anormalidade que porventura ocorra em seu estado de saúde deve ser comunicada ao seu médico, mesmo as mais simples,

3)    Não utilize qualquer tipo de maquiagem no dia da cirurgia,

4)    Traga óculos escuros,

5)    Obedeça a orientação de jejum dada pelo seu medico,

6)    Venha para o hospital acompanhado de um familiar ou pessoa de seu relacionamento,

7)    Não se esqueça de trazer seus remedies de uso diário.

ONDE A CIRURGIA SERÁ EXECUTADA

Geralmente a cirurgia plástica das pálpebras é realizada em regime ambulatorial, o que significa que a internação não é necessária. A não ser que seja realizada a cirurgia plástica das pálpebras inferiores, quando o paciente fica internado por 24h no máximo, para se evitar transtornos indesejáveis.

TIPOS DE ANESTESIA

A blefaroplastia normalmente é executada sob anestesia local associada a sedação. Em alguns casos, raramente pode-se utilizar anestesia geral. Mesmo com anestesia local, se houver qualquer tipo de sedação a presença do anestesista é requerida, o que vai dar segurança ainda maior ao procedimento. O tipo de anestesia é informado para o paciente antes da cirurgia plastica das pálpebras, já na consulta inicial com seu cirurgião plástico.

A CIRURGIA

A Blefaroplastia leva em media 2 horas, dependendo do caso, existem detalhes que podem prolongar ou diminuir este tempo. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

Num procedimento típico, o cirurgião plástico marca o trecho de pele das pálpebras superiores que serão retirados, mantendo a cicatriz escondida na dobra da pele da pálpebra. Uma porção da pele em excesso é retirada, bem como uma faixa do músculo orbicular (se necessário) e as bolsas de gordura são tratadas, após se realiza a sutura da pele com fios finos e uso da cola de cianocrilato.

Na pálpebra inferior, pode ser optado pela Blefaroplastia via Transconjutival, onde se tem acesso às bolsas de gordura, via conjuntiva, quando são retiradas. Este acesso normalmente é indicado em pacientes mais jovens que não tenham excesso de pele. Não há suturas (pontos) internos. Na cirurgia plastica das pálpebras via cutânea (pele), a incisão (corte) é marcado próximo aos cílios e a pele é descolada, permitindo o acesso as bolsas de gordura e deste modo possibilitando seu tratamento. Permite também melhorar as olheiras. Ao termino, o excesso de pele é retirado e o fechamento é realizado com pontos finos e a cola de cianocrilato.

DEPOIS DE SUA CIRURGIA

Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar praticamente disfarçadas nos sulcos da pele. Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação da cicatriz (3 meses). Pela sua localização são passíveis de serem disfarçadas com uma maquiagem leve, desde os primeiros dias.

O edema (inchaço) dos olhos varia de paciente para paciente. Existem aqueles (as) que já no 4º ou 5º dia apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros que irão atingir este resultado após o 8º dia. Mesmo assim, os 3 primeiros dias do pós-operatório são aqueles em que existe maior “inchaço” das pálpebras. O uso de óculos escuros poderá ser útil nesta fase, assim como a utilização de compressas frias diminui a intensidade do edema.

Depois da cirurgia, o cirurgião plastico lubrificará os olhos com colirios e vai aplicar um curativo de fita de micropore. As pálpebras podem apresentar a sensação de estarem um pouco apertadas e um pouco doloridas, mas com o uso de analgésicos pode-se controlar qualquer incômodo. No caso de sentir uma dor mais severa o cirurgião deve ser chamado imediatamente, e tomará as medidas necessárias.

O cirurgião vai instruir para manter a cabeça elevada durante vários dias. Será orientado como limpar os olhos, que podem ficar com alguma secreção, parecido com uma leve conjuntivite durante aproximadamente uma semana. Em alguns casos podem ser recomendados colírios. As pálpebras podem apresentar a sensação de estarem secas e os olhos podem arder um pouco ou coçar. Nas primeiras semanas você pode apresentar sensibilidade a luz, e mudanças temporárias da visão, como visão dupla e um leve escurecimento. Todas estas sensações voltarão ao normal ao fim de algumas semanas, e não acontecem sempre, mas sabendo de antemão que podem acontecer e que são temporárias, evita tensões desnecessárias com a cirurgia.

O cirurgião acompanhará os resultados de perto durante as primeiras semanas, e mais distante posteriormente. O curativo será removido entre 2 dias e até uma semana dependendo do tipo de cirurgia. O edema e as equimoses (manchas roxas), se existirem, melhorarão no decorrer dos dias.

Recomendações Pós-operatórias para a Cirurgia das Pálpebras (é um modelo básico, mas cada paciente deve seguir as recomendações que lhe serão fornecidas especificamente para seu caso):

1)    Seguir rigorosamente as orientações dadas pelo cirurgião, qualquer dúvida deve ser comunicada de imediato,

2)    A Alimentação é livre depois da cirurgia, mas prefira a alimentação mais leve e saudável,

3)    Utilize compressas com água fria sobre as pálpebras. São úteis para diminuir o tempo de edema e aumentar o conforto no pós-operatório,

4)    Quando se expuser à luz natural e ao vento, utilize óculos escuros,

5)    Evitar exposição ao sol, ao vento e ao frio,

6)    Voltar para a consulta médica no dia estipulado pelo seu medico,

7)    Evite tocar na região dos olhos, evite coçar os olhos,

8)    O médico poderá liberar, dependendo de seu caso e evolução, as suas atividades normais, após 3 a 4dias.

VOLTANDO A ATIVIDADES NORMAIS

Você vai poder ler e ver televisão, normalmente no dia seguinte. Entretanto, você não será capaz de usar lentes de contato por aproximadamente duas semanas.

A maioria das pessoas sente-se preparadas para aparecer em público (e trabalhar) em 7 a 10 dias. Isto depende de suas próprias características de cicatrização e de seguir as instruções do médico, provavelmente você poderá utilizar maquiagem que ajuda a esconder as marcas temporárias da cirurgia, permitindo voltar às atividades normais mais cedo. Pode haver sensibilidade para o vento e a luz intensa, durante várias semanas.

O cirurgião plastico provavelmente  orientará a manter suas atividades a um nível mínimo e evitar atividades mais árduas por aproximadamente três semanas. É especialmente importante evitar atividades que elevam sua pressão sanguínea, incluindo dobrar o corpo para baixo, levantamento de peso e exercícios físicos muito fortes neste período. Também deve ser evitado o uso de álcool. Após algumas semanas, tudo voltará ao normal.

SEU NOVO OLHAR

Por outro lado, os resultados positivos da Blefaroplastia, cirurgia plastica das pálpebras, lhe darão um olhar mais alerta e jovem que permanecerá por anos. Para muitas pessoas, estes resultados são permanentes.

Para completar o novo e jovial aspecto que você terá após a cirurgia plastica das palpebras, Dr. Giovanni André Pires Viana lhe informará o que poderá ser feito, acesse nosso site ou entre em contato conosco.

Aqui estão algumas perguntas que frequentemente são realizadas durante a consulta em relação a cirurgia plástica da pálpebras:

01) P: EXISTE UMA IDADE IDEAL PARA SE OPERAR AS PÁLPEBRAS?

R: Não existe uma idade ideal, mas sim, a oportunidade ideal. Essa oportunidade é determinada pela presença do excesso de pele e/ou gordura no

local, e geralmente ocorre após a quarta década da vida.

02) P: AS CICATRIZES SÃO VISÍVEIS? ONDE SE LOCALIZAM?

R: Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a

ficar disfarçadas nos sulcos da pele e em alguns casos quase imperceptíveis.

Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação da cicatriz (além de seis meses). Pela sua localização são passíveis de serem disfarçadas com uma maquiagem leve, desde os primeiros dias.

Certas pacientes podem apresentar tendência à cicatrização inestética

(cicatriz hipertófica e quelóide). Esta tendência deverá ser discutida, durante a

consulta inicial, bem como suas características familiares. Pessoas de pele clara tendem a desenvolver menos este tipo de cicatrização.

Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar tais cicatrizes inestéticas, na época adequada. A cicatriz hipertrófica ou quelóide, não devem ser confundidas, entretanto, com a evolução natural do período mediato da cicatrização. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução cicatricial deverá ser esclarecida durante seus retornos pós-operatórios, quando pode se fazer a avaliação da fase em que se encontra.

03) P: EXISTE CORREÇÃO PARA CICATRIZES HIPERTRÓFICAS?

R: Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar tais cicatrizes  inestéticas, na época adequada. Não se deve confundir, entretanto, o “período mediato” da cicatrização normal (do 30o dia até o 12o mês) como sendo uma complicação cicatricial. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução deverá ser esclarecida com seu médico.

04)  P: QUAL O TIPO DE ANESTESIA?

R: Pela extensão da cirurgia e boa qualidade dos anestésicos, a maioria dos casos é operada sob anestesia local, (com ou sem sedação). Em casos especiais pode ser utilizada anestesia geral.

05) P: HÁ DOR NO PÓS-OPERATÓRIO?

R: Geralmente não. Todavia, se ocorrer, esta poderá ser combatida com o uso de analgésicos comuns.

06) P: HÁ RISCO NESTA CIRURGIA?

R: Todo ato médico inclui no seu bojo, um risco variável e a Cirurgia Plástica, como parte da Medicina, não é exceção. Pode-se minimizar o risco, preparando-se convenientemente cada paciente, mas não eliminá-lo completamente.

07) P: OS OLHOS FICAM MUITO INCHADOS? POR QUANTO TEMPO?

R: Sim, e geralmente nos 3 primeiros dias quando começa a regressão. O edema (inchaço) dos olhos varia de paciente para paciente. Existem aqueles (as) que já no 4o ou 5o dia apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros existem que irão atingir este resultado após o 8o dia ou mesmo após 2 semanas. Mesmo assim, os três primeiros dias do pós-operatório são aqueles em que existe maior “inchaço” das pálpebras. O uso de óculos escuros poderá ser útil nesta fase, assim como a utilização de compressas frias diminui a intensidade do edema. Somente após o 3o mês é que poderemos dizer que o edema residual é discreto.

08) P: QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?

R: Anestesia local: de 6 a 12 horas. Anestesia geral: Até 24 horas.

09) P: QUANTO TEMPO DURA A CIRURGIA?

R: Em torno de 90 a 120 minutos. Dependendo do caso, existem detalhes que podem prolongar este tempo. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória.

10) P: O QUE SÃO AS “MANCHAS ROXAS” OBSERVADAS EM CERTOS CASOS?

R: Nada mais são do que a infiltração do sangue na pele subjacente(esquimoses), e mesmo na conjuntiva ocular; são devidas ao próprio trauma cirúrgico. Tais fatos não devem ser considerados como complicações, mas sim, uma intercorrência transitória e reversível.

11) P: QUANDO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?

R: Após o 3o mês. Entretanto, logo após 3 semanas já teremos boa parte do resultado almejado, e nas semanas subseqüentes a tendência de melhoria é acentuada.

12) P: OS OLHOS FICARÃO OCLUÍDOS APÓS A CIRURGIA?

R: Não obrigatoriamente. Podem ser recomendadas a colocação de compressas com solução fisiológica fria por alguns minutos, várias vezes ao dia.

As informações divulgadas neste site tem caráter meramente informativo e não devem ser utilizadas para diagnósticos, procedimentos ou tratamentos médicos sem a prévia consulta e a orientação de um especialista. Consulte sempre um medico cirurgião plástico.

Cirurgia Plástica São Paulo – Moema